segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Praça da Saudade

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

“Amor, veja bem, arranjei alguém chamado saudade”

Chove lá fora, moço
É verão, mas dentro de mim só frio
Então, desde que você se foi sou rio;
Mas diferente de chuva que acalma ao dormir
Não durmo;
Seu número não chamo mais
E nossa música não toca mais
E está tão tarde
E eu sou saudade;
Sou saudade do que aconteceu
Sou saudade do que a gente sonhou e não realizou
Sou saudade do que deixamos pra trás
Sou praça da saudade – onde primeiro beijo cê me deu;
Onde meu “cê não presta” já avisava
Onde seu abraço me esquentava
Onde naquele banco o tempo voava
Onde seu sorriso meio torto já avistava
Que eu seria tempestade em forma de saudade; 
Chove lá fora, moço
Mas também chove dentro de mim.

Aprende, menina...
“Saudade só é bonita quando ambos a sentem”

(E você não sente)


Angélica Maria

Escolhas Alternativas © 2014